VIDA EM CONDOMÍNIO

 

 

São vários os atrativos que influenciam as pessoas a optar por um vida em condomínio, dois bons exemplos são a busca por segurança e privacidade. Entretanto as características desse tipo de vida podem gerar algumas dúvidas na hora de decidir se mudar para um estabelecimento onde os vizinhos estão a uma porta de distância  e dividem as mesmas áreas comuns. Questões como, o que fazer em casos de barulho excessivo? O que acontece se alguma taxa deixa de ser paga? O que acontece se algum desconhecido entrar no prédio?

Dois direitos fundamentais para a vida em condomínio são: o direito de propriedade e o direito à privacidade. Contudo, eles não são ilimitados, e exigem um certo bom senso em sua aplicação. Para resolver divergências, é imprescindível que os condomínios disponham de uma convenção própria e de um regimento interno, documentos que regulam o convívio social dos moradores, o uso das áreas comuns, que dão informações a repeito das vagas de garagem dentre outras coisas. Em caso de brigas entre vizinhos, o recomendado é procurar as duas partes para tentar resolver a questão de maneira amigável. Se essa tentativa falhar, deve-se recorrer à administração do condomínio, responsável por valer as normas da convenção e o regimento interno do condomínio. Somente em últimos caso as desavenças devem ser levadas à justiça.
Os problemas com barulho, que com certeza são os mais comuns em condomínios, são as maiores causas de brigas entre vizinhos. É comum que no regimento, esteja estipulado um horário limite, mas é necessário contar com o bom senso. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) diz que os níveis aceitáveis de ruido equivalem a 55 decibéis no período diurno e 35 no noturno. Essa é a regra que o judiciário recorre quando é preciso analisar casos desse gênero.
Em casos de inadimplência, do mesmo modo com nos casos de divergências no condomínio,a melhor saída é tentar um acordo com o condômino inadimplente sem procedimento judicial. A justiça só deverá ser acionada caso o condômino se recuse a pagar a dívida.
Ao procurar um condomínio para morar, deve-se estar atento ao nível de segurança que o mesmo oferece. Casos de invasão, assaltos e arrastões em condomínios estão cada vez mais frequentes nos dias atuais, portanto é desejável que o condomínio que será escolhido disponha de um sistema de controle de acesso eficiente. Condomínios que contam com equipamentos como, leitor biométricocâmeras de segurança, portaria remota, muros altos, portões e cancelas reforçados são geralmente os mais seguros para se morar
Fonte: Seu Condomínio 

Segurança para condomínios: veja por que é importante ter bons equipamentos

 

Infelizmente não é preciso procurar muito para encontrar notícias sobre furtos e assaltos no Brasil. Cidades de todo o país registram diariamente casos de invasão e arrastões em casas e edifícios, planejados e realizados de forma cada vez mais ousada – só São Paulo capital e Manaus registraram cada uma, mais de 60 casos do tipo em 2016. Por isso, pensar na segurança dos condomínios torna-se indispensável para tentar minimizar a violência.

Investir em equipamentos de segurança para condomínios é uma alternativa que ajuda a monitorar e controlar o acesso de pessoas. Câmeras, porteiros eletrônicos, iluminação, cercas elétricas, alarmes, sensores e outros dispositivos são algumas opções disponíveis no mercado. Mas, antes de escolher quais equipamentos investir, é preciso levar em conta as necessidades específicas do condomínio, estudar a área de cobertura e o planejamento da segurança para que as soluções estejam integradas e funcionem corretamente.

Neste momento, o papel do síndico ganha ainda mais responsabilidade. Ele será o encarregado de buscar e escolher as melhores soluções em segurança para seu condomínio. O primeiro passo é encontrar uma empresa confiável, que tenha bons equipamentos e dê suporte na instalação e no uso de cada solução, além de garantir um pós-venda em caso de problemas nos produtos. Vale lembrar que essas condições são importantes para evitar falhas e manter os equipamentos sempre em funcionamento.

Soluções integradas ajudam na segurança em condomínios

Outro ponto que podemos destacar é a possibilidade de organizar e montar todo o sistema de segurança com uma única empresa. Com as tecnologias ‘conversando’ entre si e um único suporte, fica mais fácil integrar as soluções e minimizar possíveis falhas. Imagine que você poderá instalar câmeras de monitoramento pelas principais áreas do condomínio e disponibilizar uma central em cada uma das unidades para que os moradores acompanhem a movimentação de pessoas, inclusive por smartphones ou tablets. Será mais fácil para eles reconhecerem a chegada de seus convidados e liberar o acesso com segurança, por exemplo.

Por isso, nem sempre a opção mais barata será a melhor escolha. Algumas marcas menos conhecidas e de fora ganharam mercado nestes últimos anos ao oferecer equipamentos com preços mais baixos que as opções nacionais. Mas, neste caso, não será possível contar com suporte nem ter garantias de qualidade dos produtos.

Uma boa manutenção, deve ser levada em conta na hora de escolher a marca dos equipamentos de segurança para o seu condomínio. Como vimos, a integração do sistema e a qualidade dos produtos ajuda a evitar falhas e a melhor proteger os moradores.

Tipos de equipamentos para segurança em condomínios

Hoje há uma série de itens que ajudam a aumentar a segurança em condomínios. Segundo dados do IBGE (Pnad 2009), 34,8 milhões dos domicílios brasileiros – cerca de 60% do total – já usam pelo menos um dispositivo de segurança. Desse total, a maioria está concentrada em áreas urbanas (64,9%). Listamos aqui alguns dos principais equipamentos e soluções utilizadas na segurança de condomínios. Confira e veja o que melhor se adequa ao seu caso:

  • Controle de acesso: registro detalhado e gerenciamento de todo o fluxo de pessoas e automóveis por meio de dispositivos de identificação com tecnologia de ponta desenvolvidas exclusivamente para condomínios.
  • Controle de acesso, monitoramento e interfonia por vídeo: possibilidade de receber mensagens de áudio e vídeo de quem esteve no condomínio na sua ausência e assisti-las de seu apartamento. Atender suas visitas de onde estiver através do smartphone com um simples toque, monitorar as câmeras do condomínio de dentro do seu apartamento e muito mais.
  • Câmeras e gravadores de segurança (CFTV): proteção de patrimônio e funcionários através do monitoramento por câmeras de segurança. Acesso ao vivo das imagens dos diversos ambientes dentro do condomínio.
  • Iluminação de emergência: luminárias para corredores, escadas e blocos que iluminam ambientes maiores (como estacionamentos) em caso de queda de energia.
  • Detecção de incêndio: sistema de detecção de alarme de incêndio endereçável que identifica com exatidão o local do princípio de incêndio e é ideal para grandes ambientes; e sistema de detecção de alarme de incêndio convencional, que auxilia na prevenção deste tipo de acidente e é uma ótima opção para ambientes pequenos;
  • Eletrificadores (cerca elétrica): proteção ostensiva com muita potência de choque e atendendo a todas as normas de segurança.
  • Alarmes e sensores: é possível monitorar e prevenir movimentações suspeitas, interagir remotamente com o sistema de segurança, automatizar lâmpadas, cortinas, portões, e com a tecnologia de ponta de alguns equipamentos, o monitoramento pode ser feito até pelo smartphone.
  • Rádios outdoor: soluções wireless para conexão entre câmeras de segurança instaladas em locais distantes. Muito usado em condomínios horizontais.
  • Radiocomunicadores: com os radiocomunicadores é possível manter a comunicação entre os funcionários do condomínio de forma simples e ágil, independente da distância entre eles.

 

Fonte: blog.intelbras

COMUNICAÇÃO/INTERFONIA CONDOMINIAL – COMO FUNCIONA?

 

Os interfones em condomínios são equipamentos fundamentais para auxiliar na segurança dos edifícios e na comodidade dos moradores, além de facilitar a comunicação entre condôminos e a portaria, e vice-versa, ou mesmo fazer ligações sem custo entre um apartamento e outro.
A comunicação condominial funciona com uma unidade externa ligada em todos o ramais instaladas em cada apartamento através de uma central de portaria, permitindo se comunicarem com visitantes, portaria e inclusive ter o controle de acesso.
Existem diversos tipos de redes de interfone, mas o mais moderno e de qualidade é a digital com central de portaria.

Por que ter a Central de Portaria Condominial?
A central digital interliga todos os interfones de um condomínio permitindo que os moradores possam comunicar entre si sem precisar necessariamente ser intermediado pela portaria. Essa é sua principal vantagem, além de apresentar uma qualidade superior no som emitido.
Diferente dos sistemas de interfonia analógica onde os condôminos tem acesso somente à unidade externa do interfone e não tem acesso direto aos outros apartamentos.
Já com a central digital de interfonia o usuário pode falar com seu visitante, abrir o portão apenas ao apertar de um botão e, também, ligar diretamente para qualquer vizinho.

Basicamente, para ter um sistema de interfonia condominial digital é necessário ter uma central de portaria com a placa ramal desbalanceada, uma unidade externa de porteiro eletrônico e os monofones de cada apartamento.

 

 

Fonte: upperseg